Livro: [manual prático de bons modos em livrarias], de Lilian Dorea

Resenha Livro Manual Pratico de Bons Modos Em Livraria Lilian Dorea Blog Leitora na ModaLilian Dorea trabalhou em livraria por cinco anos. Completamente chocada com o que ouvia e vivia com os clientes resolveu criar um blog para compartilhar suas experiências. Ele está ativo, porém Lilian não posta mais nada há pelo menos dois anos.

O livro é pequeno, no formato de bolso 17x12cm, e traz para seus leitores dicas de como se comportar em uma livraria; transcreve diversas conversas hilariantes; tira dúvidas e indica sebos e livrarias, blogs e sites, e livros que falam sobre livros (fiquei de olho nessa parte porque quero todos!).

Bem delicado e de leitura rápida é um livro para animar uma tarde tranquila de domingo. É para todos, mas principalmente para quem “vive” na livraria, tanto livreiros quanto clientes, pois vão se identificar com algumas passagens. Então por favor, se você for cliente leia bem e não faça igual. Vamos ajudar os livreiros também, né? rsrs

Para vocês entenderam como é a escrita, deixo aqui embaixo duas citações:

[Que Rei Sou Eu?]

FREGUÊS: Por favor, tem CD do rei?

(Rei pra mim é só o Bukowski, mas vamos lá.)

LIVREIRO: O senhor procura CD do Roberto Carlos ou do Elvis?

FREGUÊS: Do Ray Charles mesmo.

Não basta ser livreiro, especialista em assuntos aleatórios, conselheiro, terapeuta e tantas outras coisas. Para trabalhar em livraria você precisa ser, antes de tudo, uma pessoa forte. (p.97)

Então, ficaram curiosas? Eu super indico! É uma leitura agradável e divertida!

Editora: Seoman Ano: 2013 Páginas: 232
Categoria: Crônia brasileira.

Beijos :*

Postado Por Thay Rocha - Blog Leitora na Moda

Sete Dias Sem Fim – Jonathan Tropper

Livros - Resenha Frases e Fotos - Livro Sete Dias Sem FIm - Jonathan Tropper - Blog Leitora na Moda

Editora: Arqueiro
Ano: 2013
Páginas:304
Categoria: Ficção Americana
Título Original: This Is Where I Leave You

Minha Avaliação: 4.8 (Ótimo!)
Avaliação no Skoob hoje: 4.1

 

Um livro que vale a pena! Sim, sorri, gargalheime emocionei. Um livro que tem história para contar que pode ter acontecido com qualquer pessoa por aí também, não tudo, claro, algo. Não achei nada “mais do mesmo”, foi tudo novidade para mim. Há frases que você pode levar para sua vida, eu anotei várias. Resumindo, um livro bom, família, com conceitos que todos deveriam prestar mais atenção.

Judd Foxman se apaixonou na faculdade por uma mulher que nunca acreditou que pudesse ter: linda, com um corpo de dar inveja e elegante. Casou-se, e tudo parecia bem até que perdeu um filho estrangulado no próprio útero da mulher, viu sua esposa o traindo em sua própria cama com seu chefe, e agora se encontra na odiosa obrigação de cumprir o shivá, período de sete dias de luto mantidos pela morte de uma pessoa próxima, no caso, seu pai. Para você até pode parecer que não podia piorar, mas Judd já tinha certeza que sim, afinal, juntar sua mãe e todos os seus irmãos – que já não se viam há muito tempo – por uma semana na casa onde cresceram em Elmsbrook, não teria como dar certo, e não deu para falar a verdade. Brigas antigas, desentendimentos, rancor, inveja, amizades e amores antigos – chame como quiser tudo isso – vieram a tona para ajudar no que eu chamo de confusão. Seria comédia se não fosse trágico, digamos que é uma comédia trágica então. Sem final feliz? Talvez, porque finalmente estamos falando de vida real na ficção. Eu acredito em finais felizes, mas que há recomeços, ou seja, “final dos finalmente” nunca tem, porque ainda estamos vivos, afinal!
Eu queria um pouquinho mais do fim porque eu sou uma pessoa curiosa, finais abertos nunca me animam. Achava tudo legal até que li a última frase do livro e soltei um : Ah saco! Tirei 2 décimos por isso, mas só tive coragem de tirar dois porque realmente o livro é bom (no skoob dei 5 estrelas, já que não pode dar nota quebrada rs). Mas sim, sinto falta de um final que eu possa saber que foi aquilo e pronto que aconteceu, e não um que me deixa com várias suposições, principalmente, como no caso, no que eu mais queria saber. A vida real já tem tanto disso, futuro incerto… Gosto de histórias que me ajudem a decidir. Se acontecesse comigo o que aconteceu com Judd, poderia me inspirar a tomar decisões, por que não? Por isso digo que esse livro é bem real, muitos vão te dar conselhos, mas só você terá que decidir, e isso na maioria das vezes, demora a acontecer.
Para os puritanos de plantão já aviso logo que há passagens bem, digamos assim, safadinhas. É um livro que fala de sexo, drogas e sim Rock n’ Roll, pra ser bem específica, dos anos 80.

É isso, como eu posso dizer uma última frase: leia esse livro!

E para quem gosta de adaptações cinematográficas, dia 15 de janeiro estreia cinemas. Vou deixar o trailer abaixo, e podem ver sem problemas, está sem spoilers do livro. rs


    
   
   Para se Inspirar:

Seria um erro terrível passar a vida achando que as pessoas são a soma de tudo o que você vê.

Nossas mentes, sendo isentas da censura da culpa ou da vergonha, são egoístas e más, e a maioria de nossos pensamentos, em qualquer momento, não serve para o consumo público porque ou seria ofensiva ou apenas nos faria parecer os sacanas egoístas e maus que somos. Não partilhamos nossos pensamentos, apenas versões cuidosamente editadas, suavizadas, adaptações hollywoodianas desses pensamentos para o público abaixo de 14 anos.

As pessoas adoram fazer isso, apontar para um único fenômeno, atribuir a um só incidente toda a culpa e assim zerar o placar, como os glutões compulsivos que processam o MacDonald’s por transformá-los em porcos obesos. A verdade, porém, é muito indistinta e se esconde meio desfocada na periferia.

Deixar o cachorro fazer cocô na calçada não pode, mas é perfeitamente aceitável bafejar carcinogênios na cara dos outros. Em algum ponto do caminho, os fumantes se dispensaram de cumprir o contrato social.

Às vezes, satisfação é uma questão de força de vontade. Precisamos ver o que temos diante do nariz, o que isso pode vir a se tornar, e parar de comparar com o que perdemos. Sei que isso é sábio e verdadeiro, assim como sei que praticamente ninguém consegue colocar em prática.

Problema é algo a resolver. Se não há solução, não se trata de um problema.

Às vezes as pessoas dizem que querem se desculpar e depois isso acaba sendo a própria desculpa, quando, na verdade, ao dizer que querem se desculpar elas conseguem evitar o pedido de desculpas real.

A certa altura não interessa dizer quem estava certo e quem estava errado. A certa altura, ficar zangado um com o outro não passa de um mau hábito, como fumar, e você continua se envenenando sem se dar conta disso.

Anotei muito mais, mas separei os melhores pra vocês porque transcrever o livro todo não é legal, né? rs O livro é recheado de frases bonitas! *-*

Livros / Autores: Romeu e Julieta, de William Shakespeare / Silas Marner, de George Eliot / O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D. Salinger /  Os Contos de Canterbury, de Geoffrey Chaucer.

Filmes: Campo dos Sonhos / Sexta Feira 13 / A Volta da Família Dó Lá Si Dó / O Incrível Hulk / Rambo / Mad Max.

Programas / TV: The Oprah Winfrey Show / The Daily Show With Jon Stewart / Jennie é um Gênio.

Músicas / Cantores / Bandas: Air Suply / Led Zeppelin / Bitches Ain’t Shit, de Ben Folds /  Pat Benatar / The Cure / 99 Red Ballons, de Goldfinger / All The Girls Love Alice, de Elton John / Neil Diamond / Jackson Browne / Peggy Lee / Frére Jacques / Spangled Banner / Tema de abertura de Guerra nas Estrelas / I’ll Be There, de Michael Jackson / Eleanor Rigby, de The Beatles / Rolling Stones / If This Is It, de Huey Lewis & The News / Life in a Northern Town, de Dream Academy / Time After Time, de Cyndi Lauper  / Tears For Fears / Abertura de As Aventuras de Guilherme Tell / El Condor Pasa (If I Could), de Simon & Gurfunkel / CD The Wall, do Pink Floyd / CD de Vila Sésamo / The Boys Are Back In Town, de Thin Lizzy / Sweet Home Alabama, de Lynyrd Skynyrd  / Wonderful Tonight, de Eric Clapton / Album Almost Blue, de Elvis Costello & The Attractions.

Produtos / Marcas: Schnapps de pêssego / Edredon Ralph Lauren / Revista People / Relógio Rolex Cosmograph Daytona de ouro branco / Relógio CitizenLexus / Celular Blackberry / Porche preto / Sedã Lincoln escuro / Calcinhas Victoria’s Secret ou Perla / Bicicleta Schwin vermelha / Revista Playboy / Abercrombie / Vela da Shivá / Hummer / Camry azul / Cadillac / Wall Street Jornal / Absorventes OB / Jornal Times / American Express / Boias do Homem-Aranha / Terno Armani / Chapéu de Bob Marley / Revista Sported Illustrated / Maserati / Chrysler / Coca Diet / Jogo Soletrando / Maço de Marlboro / Amway / Pepsico / Chapéu do pateta / Máquina fotográfica Yashika / Jipe branco / Relógio Heuer / Toyota azul / Suéter com gola em V / Legging de oncinha / Batom Rosa Chiclete.

Estabelecimentos / Lojas / Lugares: Nordstrom / Neiman Marcus / TGI Friday’s / Sticky Fingers / P.F. Chang’s / Cheesecake Factory / Pitch & Putt / Sushi Palace / Applebee’s / Rock & Bowl / Szechuan Gardens / Multiplex AMC / Shea Stadium / Martha’s Vineyard / Lua de Mel em Anguilla.

Para saber mais sobre os itens acima, clique nos nomes.
Para ouvir a playlist no Grooveshark clique aqui.

Capitães da Areia – Jorge Amado

Capitães da Areia é um clássico nacional, escrito por um dos poucos escritores brasileiros que conseguiram viver somente com o que ganhavam da literatura: Jorge Amado. Não é difícil entender porque… A escolha do tema impressiona até hoje: é ainda tão comum. Conta a vida de crianças de rua que roubam para sobreviver. Levanta a questão se isso é perdoável ou não, porém quem decide é você, ele não vai te dar uma resposta, afinal. 
Pedro Bala é o chefe da turma, e eles vivem em um trapiche abandonado nas piores condições, escondido de todos, principalmente das autoridades. A história se passa na Bahia, em Salvador, bem na época em que a varíola “desapareceu” com várias famílias. O livro demonstra que apesar de tudo, eles conseguem ser fiéis ao grupo e que o coletivo está acima do pessoal. Conhecemos o Gato, Sem-pernas, Professor, entre outros, cada um com sua personalidade diferenciada.
O grupo sempre foi de homens, até que dois integrantes encontram Dora e seu irmão de 6 anos perdidos na rua sem saber para onde ir. Eles perderam seus pais para a doença, e todos os conhecidos que poderiam os ajudar viraram as costas com medo de pegarem a doença também, ficando sozinhos no mundo até então. Claro que uma única garota no grupo daria confusão, mas isso não é o principal, e Dora acaba sendo para eles a melhor pessoa que poderiam conhecer. 
No desenrolar da história aparecem pessoas para hostilizar o grupo, para ajudar, e para ignorar; e isso faz com que o leitor pense bastante por horas, se coloque no lugar dessas crianças, e claro, raciocine antes de julgar. É um livro para o leitor revisar seus ideais, e eu bato palmas para o Jorge Amado. Dá para acreditar que ele escreveu esse livro com apenas 24 anos? :O
Eu demorei muito para conseguir terminar esse livro, confesso. Ficava procrastinando a leitura e isso só piorava. Quando eu lia me prendia, mas logo já estava pensando em quando eu terminaria. Ou seja, acredito que o tema é perfeito, a escrita é ótima, mas eu acabei me sentindo um pouco incomodada ao sentir na pele todas aquelas sensações, e hoje posso dizer que foi a melhor coisa que poderia ter feito, mas é tão ruim perceber que apesar de existir serviços públicos específicos, esses são piores para eles do que a própria liberdade decadente das ruas.

Inspire-se

Livro / Autor: O Homem Delinqüente – Cesare Lombroso

            Para saber mais sobre o item acima, clique no nome.

Os homens assim são os que têm uma estrela no lugar do coração. E quando morrem o coração fica no céu. 

A liberdade é como o sol. É o bem maior do mundo.

Porque a revolução é uma pátria e uma família.

Dica

Vamos jogar com os personagens do livro?
No site jogoscapitaesdaareia.com.br você encontra sete jogos online para conhecer ainda mais desses personagens. Capitães da Areia é leitura obrigatória para o vestibular, então estude se divertindo!! :)

P.S: sem fotos do livro porque a minha edição é velhinha, coitada, é de 1989.

Convergente – Veronica Roth





Editora: Rocco
Ano: 2013

Páginas: 526
Categoria: Literatura Infantojuvenil
Título Original: Allegiant

 
Minha Avaliação: 3 (Bom!)
Avaliação no Skoob: 4.2 (em 15/07/14)

OBS: Pode conter spoiler dos livros anteriores
Depois da Derrubada do Governo dos membros da Erudição, liderados estes por Jeanine Matthews, pelos sem-facção, um vídeo produzido pela Edith Prior veio à tona. Várias especulações sobre o que havia fora da cerca surgiram. Agora a cidade de Chicago é liderada por Evelyn, um dos membros dos sem-facções e obrigou a todos a viverem juntos, excluindo assim as Facções. Algumas pessoas não se adaptaram muito bem as novas regras e criaram um grupo chamado os Leais. Dentre esses, foi formado um outro grupo para se descobrir o que havia lá fora e entre os integrantes estavam, Tris e Tobias. E é fora da cerca que eles descobrem o verdadeiro significado de ser Divergente.
Nesse livro, a narração é dividida entre os nossos personagens queridos (Tris e Tobias) e me deixou muito confusa. No começo tive que voltar várias vezes para lembrar quem estava falando e isso me atrasou um pouquinho. Não é algo extremo, pois depois de uns capítulos você consegue se adaptar ao novo jeito da leitura.
A autora foi muito ousada ao explicar tudo de uma vez no último livro. Apesar de achar bem explicado os acontecimentos, juro que não foi isso que imaginei quando terminei o Insurgente. Achei que teria muito mais ação e coisas do tipo, mas não. Somente no final que começa a ficar bom. Fiquei totalmente decepcionada com o andamento do livro, em especial com o fechamento da Trilogia. Nas outras resenhas vocês puderam ver o tamanho da minha empolgação com a série e como tive uma expectativa muito alta pro livro Convergente, provavelmente por isso eu fiquei tão chateada com o rumo que a história tomou. Confesso que esperava muito mais.
Não vou dizer que detestei a Trilogia porque eu amei os 2 primeiros livros. A autora Veronica Roth te faz ficar tão envolvida e tão apaixonada pela leitura que não tem como não gostar de todos os livros. Só vou dizer que apesar de não ter gostado muito do final do último livro, essa série ainda é uma das minhas favoritas. Por isso é óbvio que recomendo a leitura, talvez vocês gostem do final, talvez não. 

Insurgente – Veronica Roth

Editora: Rocco
Ano: 2012
Páginas: 511
Categoria: Literatura Infantojuvenil
Título Original: Insurgent

Minha Avaliação: 5 (Ótimo!)
Avaliação no Skoob: 4.5 (em 16/06/14)

OBS: Pode conter spoiler do livro Divergente.


Insurgente é o segundo Livro da trilogia Divergente. Esse livro, assim como o primeiro é narrado por Tris. Existiu uma guerra no final do livro de Divergente e foi necessário que Tris, Tobias (que é o nome verdadeiro do Quatro) e seus amigos fugissem para a facção da Amizade. Lá eles foram recebidos de “braços abertos”, contanto que seguissem algumas regras e ajudassem na colheita. Mas não demorou muito até eles perceberem que não poderiam ficar bastante tempo por lá. Então eles decidem ir embora antes que a situação no complexo da Amizade piore. Não vou escrever mais nada, pois acabarei dando muito spoiler e sei que isso não é bom. 
Dá pra vocês saberem que haverá muita emoção, muita luta e muitos segredos a serem revelados que mudarão o rumo das facções.
Acredito que Insurgente seguiu o mesmo grau de emoção do primeiro. Mostra a coragem e determinação da nossa protagonista, o seu jeito audacioso e gentil, e mostra também seu lado idiota (vocês entenderão o porquê). Há uma certa tensão entre alguns personagens, mas não posso contar quem são. Haha Foca bastante no romance que há entre Tris e Tobias (o que me fez me apaixonar por esse casal). Consegui terminar esse livro em menos de dois dias. Toda vez que dizia só mais um capítulo, acabava lendo muito mais. Haha
A escritora Veronica Roth me surpreendeu muito nesse segundo livro, embora eu já estivesse esperando um nível alto e bom da história. Até o final me surpreendeu e me fez querer ler loucamente o último porque fiquei bastante curiosa.
Então é isso pessoas. Leiam essa série. Pra quem ainda não leu tem a resenha do primeiro livro aqui no Blog.
           Inspire-se

E é assim que me sinto: recompondo as partes diferentes de mim mesma, como se as puxasse para dentro do meu corpo com um cadarço. Sinto-me sufocada, mas pelo menos me sinto forte. (p.31)

A pressão delicada dos seus lábios apaga os últimos meses da minha vida, e eu me torno a menina sentada sobre as pedras do abismo, com gotículas da água do rio nas canelas, quando o beijei pela primeira vez. Sou a menina que segurou a mão dele no corredor só porque sentiu vontade de fazê-lo. (p.306)

Não consigo me imaginar vivendo da maneira que ele vive, sempre me lembrando de quem me deu o que e do que preciso dar de volta, incapaz de sentir amor, lealdade ou perdão, como um homem de um olho só, procurando pelo olho de outra pessoa para furar. Isso não é viver. É uma versão mais pálida da vida. Onde será que ele aprendeu a viver assim? (p.386) 

Divergente – Veronica Roth



Editora: Rocco
Ano: 2011
Páginas: 502
Categoria: Literatura Infantojuvenil
Título Original: Divergent


Minha Avaliação: 5 (Ótimo!)
Avaliação no Skoob: 4.6 (em 25/05/14)

Olá pessoas, como vão? Hoje trouxe uma resenha de um livro que acho que se alguém ainda não leu, com certeza está na lista de compras. Haha Estou falando de Divergente da autora Veronica Roth.
Nesse livro, existem 5 facções: Audácia, Amizade, Abnegação, Erudição e Franqueza. Beatrice Prior, nossa bela protagonista nessa distopia pertence a facção da Abnegação até seu tão esperado teste de aptidão que acontece ao completar 16 anos. Ao passar pelo teste, Beatrice descobre que ela tem competência para fazer parte de 3 facções diferentes, o que nesse mundo pode ser extremamente perigoso. Essas pessoas que têm o resultado do teste inconclusivo são chamados de Divergentes. Como a pessoa pode escolher pra qual facção quer ir, Beatrice escolhe a Audácia, mas isso não significa que ela já pertence a essa facção, pois terá que passar por vários testes na sua iniciação para provar que é capaz. Se não conseguir virará uma sem–facção, onde vagará o resto da vida sozinha pela cidade de Chicago. 
Já na Audácia, Tris conhece Quatro, que é um dos instrutores dos iniciandos, e como ele é muito misterioso chama a atenção dela. Mas Tris não imaginava que assim que fizesse a sua escolha, sua vida e de todas as outras facções mudariam para sempre. 
Vou ser totalmente sincera com vocês. Eu estou apaixonadíssima por essa distopia. Nunca achei que fosse gostar tanto. Esse livro foi lido em menos de dois dias, e quando acabou corri pra a livraria e pedi pro meu namorado de presente os outros dois! (Sim, meu aniversário estava chegando e não ia aguentar esperar pra ler os outros. Hahaha) 
Por ter uma leitura fácil, Divergente se torna envolvente, e faz com que você “devore” o livro em pouco tempo. Eu recomendo essa leitura para aqueles que gostam de muita ação, emoção e romance.

           Inspire-se 

A razão humana é capaz de justificar qualquer mal; é por isso que não devemos depender dela. (p.111)

Mas o que eu percebia como a falta de medo talvez fosse apenas o medo sobre controle. (p.251)

Em algum lugar dentro de mim há uma pessoa misericordiosa e clemente. Em algum lugar, há uma garota que tenta entender pelo que as pessoas estão passando, que aceita o fato de que as pessoas fazem coisas más e que o desespero leva-as a lugares mais escuros do que jamais puderam imaginar. Eu juro que essa pessoa existe, e ela sofre por esse garoto arrependido que vejo diante de mim. Mas se eu a visse, não a reconheceria. 
– Fique longe de mim – digo baixinho. (p.314) 

É não, era. Isso é a morte: quando o “é” se transforma em “era”. (p.317)

Tenho medo das suas mudanças repentinas de humor. Elas me mostram que há algo de instável dentro dele, e a instabilidade é perigosa. (p.324)

Mas nós devemos apenas fazer com que a culpa nos ajude a fazer mais no futuro. (p.329)

Os seres humanos, de uma maneira geral, não conseguem ser bons por muito tempo antes que o mal penetre novamente entre nós e nos envenene. (p.454) 

Belle – Lesley Pearse

Editora: Novo Conceito
Ano: 2012
Páginas: 559
Categoria: Ficção Inglesa
Título Original: Belle

Minha Avaliação: 5 (Ótimo!)
Avaliação no Skoob: 4.3 (em 14/05/14)

Olá Pessoas, como vão vocês?! Como essa é minha primeira resenha oficial espero que gostem. Ficarei na expectativa aqui, porque acho que eu não escrevo tão bem quanto a minha irmã. Se quiserem comentar e dizer o que acharam mesmo que sejam críticas fiquem a vontade, é assim que o Ser Humano cresce, não é? Haha. Então vamos lá…
Primeiramente devo dizer que quando comprei esse livro achei que seria muito “maçante” e que demoraria séculos para lê – lo. Então, porque comprei?? Haha Bom, eu tinha lido em alguns blogs e me interessei pelo enredo, e obviamente me apaixonei pela capa que é maravilhosa!!
Estou muito surpresa porque o livro é bom demais! Ele te envolve de uma maneira impressionante e quando você vê já está quase acabando. E olha que o livro tem exatamente 559 páginas!
Falando um pouquinho sobre o livro, Belle é envolvente e marcante. Se passa em uma época antiga onde existem bordéis, damas, cavalheiros, vestidos rodados, chapéus e carruagens. Belle é filha de uma dona de um bordel, chamada Annie e foi criada tão longe desse ambiente que não sabe exatamente o que acontece na casa. Ao passear por Londres, Belle conhece um garoto chamado Jimmy que é sobrinho do dono do bar mais próximo. No início ele é bastante indelicado chamando–a de prostituta só porque ela morava em um bordel.
De um jeito categórico e perfeito Belle responde:

– Se eu morasse em um palácio não seria obrigatoriamente uma Rainha. (p.11)

Depois desse terrível mal entendido, já superado, eles se tornam amigos e passeiam.
Um dia ela presencia um assassinato de uma das meninas da casa de Annie e tudo muda em sua vida. Ela é então sequestrada e vendida em algum lugar na França. Jimmy e outras pessoas importantes partem a procura de Belle fazendo tudo que estavam ao alcance deles para achá–la.
Algumas partes do livro são bem chocantes e te fazem chorar, outras te fazem acreditar que tudo está indo bem até que tudo muda outra vez. Aliás, não recomendo essa leitura para menores de 18 anos.
Belle é um livro dinâmico e em nenhuma parte você fica entediado. Na minha humilde opinião, acho que a escritora Lesley Pearse foi brilhante nesse aspecto. Durante sua jornada, Belle se mostra corajosa e esperta, e usa todos os seus encantos para conseguir seu principal objetivo que é sua volta pra casa. Sofreu algumas humilhações e desilusões, mas sempre foi persistente e nunca deixou ser abalada.
Eu super recomendo esta leitura que te envolve do início ao fim. A história pode não ter um final surpreendente, mas depois do que Belle passou, com certeza ela queria que fosse o mais perfeito e calmo possível. Ao ler o livro, nunca imaginei que pudesse se tornar uma das minhas histórias preferidas. Obrigada Lesley Pearse por ter me proporcionado isso!

O Beijo das Sombras – Richelle Mead

Oi gente! Tudo bem? Estou um pouquinho sumida, eu sei, mas mês de janeiro é assim né? Com esse calor no Rio de Janeiro então, é quase impossível ficar na frente do computador, ou até mesmo ter algum ânimo para ler algum livro. Só consigo quando ligo aqueeeeeeeeeele arzinho maravilha do ar condicionado. rs Peço até desculpas de não visitar os blogs com frequência, mas voltarei com isso tudo em breve!
Sim, li O Beijo das Sombras do Desafio Literário Skoob, e pelo visto esse mês será só esse mesmo, levando em consideração que nesse domigo pego o avião para a viagem dos sonhos: Walt Disney World. Sim, tenho 23 anos, mas antes tarde do que nunca. rs Ainda farei o Cruzeiro Disney Dream, e estou super mega empolgada para mergulhar na praia do Caribe!!!! Irei com meus tios e primos, e a diversão será garantida! E não vejo a hora de provar a cerveja amanteigada do parque do Harry Potter!!! o/
Simmmmmmmmm, tentarei comprar livros em Orlando!!! Quais vocês comprariam lá? De repente trago uma surpresa para vocês! Mas tem que deixar sugestões!!! rsrs
Volto só em fevereiro! Então, fiquem de olho no meu Instagram para lindas fotos de Orlando, Bahamas e novidades!!
Sem mais delongas, vamos aos comentários do livro desse mês.


Editora: Nova Fronteira
Ano: 2009
Páginas: 319
Categoria: Ficção Americana
Tradução de: Vampire Academy
Minha Avaliação: 5 (Ótimo!)
Avaliação no Skoob: 4.4 (em 16/01/14)

Li O Beijo das Sombras já sabendo que era a série queridinha de muitos, então, já fui sem aquele olhar tordo de “mais um sobre vampiros adolescentes”. E realmente não é isso. Tem uma estória diferenciada e fluida que te prende de verdade. Claro que há amores proibidos envolvidos, e aquela necessidade absurda de um personagem querer proteger o outro, mas isso é explicado, e não fica nada a desejar.

Vasilisa Dragomir é uma princesa, e com isso tem todas as regalias da realeza, principalmente amigos que não acabam mais. Sua melhor amiga, se chama Rosemarie Hathaway, e a propósito, ela que nos conta a estória.
A narrativa começa em Portland com as duas amigas fora da Escola São Vladimir, que fica no interior do estado de Montana. Elas fugiram de lá, e a razão você descobre com o avanço da leitura, mas o que nos interessa agora, é saber que as duas são encontradas pelos guardiões da escola ainda no primeiro capítulo, ou seja, encontramos aí uma pitada de suspense do começo ao fim.
Lissa e Rose, para os íntimos, tem uma ligação forte, que nem mesmo os mais experientes da Escola entendem. Porém, tudo está interligado com antigas histórias, como por exemplo, o São Vladimir e Anna – a beijada pelas sombras – que são rotineiramente comentados nas missas da Igreja, e da ex professora Karp, que sumiu misteriosamente.
Há dois tipos de vampiros, os Morois e Strigois, inimigos mortais. Os Morois são mais fracos, e em menor número, mas contam com a aliança dos dampiros, que são meio humanos e meio vampiros, os chamados Guardiões. Cada Aprendiz da Escola se torna Guardião de um Moroi para sempre.
Cada Moroi se especializa em um dos 4 elementos: terra, fogo, água e ar.
Todo Strigoi já foi Moroi um dia, porém abriu mão da magia para ser imortal.
Lissa é uma Moroi. Rose é uma dampira aprendiz.
Já dá para perceber aí o que se sucede a estória. Esse primeiro livro da série Academia de Vampiros nos familiariza com esses e outros personagens, e nos explica o que na verdade significa a ligação precoce entre Lissa e Rose. 
Adorei de verdade! Para quem gosta do gênero é um prato cheio, e ainda acompanhado de uma deliciosa sobremesa! :P 
Dica: se você tem alguma dificuldade com uma linguagem mais elaborada, sugiro começar a ler esse livro já com um dicionário do lado. Eu corri pra essa ajuda diversas vezes. Você irá encontrar palavras do tipo: estoicos, tenra, algozes, magnânimo, alcunhas, intrépida, escárnio, lânguido, pompa, lascívia, pústulas, prumo…

Inspire-se

Produtos / Marcas: Hollister / Target / Rosas vermelhas, e Lírios brancos / Toalhas de mesa feitas de linho vermelho sangue / Macy’s / Lincoln Town Car.

Autor / Livro: Louis L’Amour / O Código da Vinci, de Dan Brown.

Música: When Doves Cry, do Prince.

Para saber mais sobre os itens acima, clique nos nomes.
Para ouvir a música no perfil do blog no Grooveshark clique aqui.

Por que será que todas as pessoas inofensivas são tão chatinhas? Talvez essa seja a definição de segurança. (p.68)

É assim que são as coisas quando se é popular. Algumas pessoas o amam, outras o odeiam. (p.95) 

As fofocas às vezes se espalhavam tão depressa por ali que dava até impressão de que todos dispunham de algum laço psíquico. (p.97) 

É, bem, todos nós temos que fazer coisas das quais não gostamos. É a vida. (p.218) 

O Natal de Poirot – Agatha Christie

Aproveitando que o natal está chegando… :)

Ano: 2009

Páginas: 223

Categoria: Ficção Inglesa

Tradução de: Hercule Poirot’s Christmas


Minha Avaliação: 5 (Ótimo!)

Avaliação no Skoob: 4.1 (em 22/12/13)

Os livros da Agatha Christie sempre me impressionam. É aquele tipo de suspense policial que eu leio e releio os mínimos detalhes para conseguir descobrir de antemão quem é o assassino da vez, porém eu já percebi que é impossível fazer isso com os livros dela. De todos os livros que eu já li – leia-se três – eu tentei e me dei mal, pois quando vai chegando o final desvenda-se outros fatos, e surgem outras dicas, que mudam o rumo da investigação totalmente. Ou seja, não espere saber quem é o culpado antes da hora! rs

Ressalto que eu adoro fazer isso, e apesar de ter reparado essa característica em suas narrativas, não consigo não apontar o possível culpado antes da hora. O que me faz errar na maioria das vezes. Nessa leitura levantei todas as suspeitas, e esperei o desenrolar até descobrir que uma delas bateu completamente. Mas também né? Com tantas histórias possíveis que inventei na minha cabeça, pelo menos uma tinha que ser! rs
O Natal de Poirot vai desvendar o assassinato mais sangrento de todos, escrito especialmente para o cunhado da Agatha, que dizia que suas histórias eram refinadas e anêmicas demais.
Simeon Lee é um idoso que decide juntar toda a sua problemática família para o natal, e apesar de todos terem suas diferenças, aceitam o convite. Porém, na véspera, o velho é morto em seu quarto. A princípio todos são suspeitos, e o coronel Johnson, e o superintendente de polícia Sugden, são encarregados de averiguar o caso. O detetive Hercule Poirot, passava o natal na cidade, e após saber do ocorrido, se junta aos dois para, como sempre, solucionar o mistério.
Entenda o caso: Simeon Lee era milionário, e teve vários filhos com sua falecida companheira. Ele sempre foi infiel, e sabia que poderia ter muitos filhos prodígios no mundo. Nunca se arrependeu do seu passado, pelo contrário, se orgulhava da ideia de ter melhores herdeiros por aí, algum que poderia ter puxado suas melhores qualidades, já que os filhos legítimos de seu casamento são uma lástima para ele. Com todos na casa para comemorar o natal, Simeon decidiu mudar o testamento repentinamente, e seus filhos ficaram a par disso. Sua última descoberta foi que seus diamantes brutos, guardados em seu cofre por tantos anos foram roubados.
Nessa história, as maiores dificuldades serão: depoimentos fracos (muitas vezes mudados, e com fatos omitidos); e detalhes deixados de lado (julgados sem importância).
Se vale a pena ler mais um dos 80 romances policiais da Agatha Christie? Sim, e se vale! Esse realmente não traz uma morte anêmica!!

Inspire-se

Produtos / Marcas: Vinho branco do Reno ou Tinto de Bordeus / Xícara de café antiga de Worcester.

Livros: Jack, O Gigante Assassino (Na verdade, João e o Pé de Feijão – Adaptado para o cinema esse ano) /  Otelo, o Mouro de Veneza (Desdemona – Iago – Marat – Mercucio) / Velho Testamento (Joel e Judite)

Filmes: Amor na Antiga Sevilha 

Músicas / Músicos: Cancões sem Palavras, de Mendelssohn / Mozart / Tosca / Marcha Fúnebre 

Para saber mais sobre os itens acima, clique nos nomes.
Para ouvir as músicas no perfil do blog no Grooveshark clique aqui.

Acho que o presente é o que importa, não o passado! O passado tem que sumir. Se tentarmos manter vivo o passado, acabamos, penso eu, por distorcê-lo. Nós o vemos de maneira exagerada… é uma perspectiva falsa. (p.30-31)

Existe uma espécie de fraqueza… de submissão… que faz com que um homem revele o que tem de pior, ao passo que o mesmo homem, enfrentado com espírito de determinação, poderia ser uma criatura diferente! (p.31)

Numa conversa, as coisas surgem! Se um ser humano fala muito, é impossível evitar a verdade! (p.125)

As pessoas mais calmas e meigas são, em geral, capazes das mais súbitas e inesperadas violências. Por uma simples razão: quando perdem o controle, perdem-no completamente! (p.208-209)

Amada Imortal – Cate Tiernan


Editora: Galera Record

Ano: 2012

Páginas: 279

Categoria: Ficção Americana

Tradução de: Immortal Beloved


Minha Avaliação: 4 (Muito Bom)

Avaliação no Skoob: 4.3 (em 06/12/13)


Amada Imortal é o primeiro volume de uma trilogia. Nele, as pessoas, na maioria das vezes, só descobrem que são imortais quando já estão na fase adulta, pois depois disso, não envelhecem. Só nascem imortais se forem filhos de imortais. Não existem híbridos, se um imortal tiver um filho com um mortal, esse também será mortal. Caso que os imortais já experientes tentam ignorar ao máximo, já que ver seus amados morrerem é um dos mais profundos sofrimentos. 

Nastasya, 449 anos, é uma dessas, e seus relacionamentos são apenas por diversão. Seus amigos, apesar de existirem há séculos, parecem não terem saído da puberdade tal como suas aparências. Suas vidas são um caos total. Após um episódio chocante, Nastasya se sente estranha, começa a achar que seus amigos estão indo longe demais com a Magick, e foge sem deixar vestígios.
Ela vai de encontro a River, uma imortal que presenciou um antigo acidente com eles que matou mortais. Nastasya descobre que River’s Edge é tipo um reformatório para imortais que os ensina a Magick Branca, e a ver a vida de uma maneira diferente. Porém, esse reformatório reserva grandes surpresas para ela, e o que parecia estar enterrado para sempre em sua memória, retorna novamente.

As lembranças não paravam de correr como um riacho de ácido fresco pingando no meu cérebro até eu querer gritar. (p.31)

Amada Imortal nos traz um tipo diferente de imortais e uma estória bastante diferenciada, porém é mais um livro que estamos acostumados no gênero. No começo da leitura ele não nos fala qual é o intuito da mesma e eu confesso que pensei: gente, mas qual é a estória principal afinal?

Mas depois flui, e não é bobinho. Esse livro me surpreendeu por trazer um desenvolvimento mais maduro dos personagens, e isso é totalmente compreensível já que os imortais já viveram de tudo nessa vida.

O principal nessa vida é não ser bom o tempo todo. É ser tão bom quanto se pode ser. Ninguém é perfeito. Ninguém faz a coisa certa o tempo todo. Não é assim que a vida é. (p.96)

Gostei muito das passagens que me fizeram aprender e pesquisar coisas novas, como: qual foi o primeiro carro lançado no mundo; orações quaker; visão wabi sabi japonesa; alguns tipos de pássaros; chá com efeito relaxante; um pouco sobre pedras; raça de cavalos; plantas venenosas; e claro, o mais importante: como tirar cheiro de gambá em cachorros. Aliás, quem é que não gosta de aprender com leituras prazerosas? É mais um dos livros que inspiram a pesquisar e entender melhor do que está falando. A-mo! rs

Como Oscar Wilde, consigo resistir a qualquer coisa, menos a tentação. (p.139)

Claro, claro, não poderia deixar de falar que tem o personagem Reyn na estória, e ele é totalmente relevante, apesar de se mostrar um babaca de primeira, como Nastasya mesma diz. Nell é outra imortal do reformatório, e é apaixonada por Reyn. Mas o meu personagem favorito não aparece muito, e é o Jasper, cachorro da raça corgi responsável por eu saber agora como tirar cheiro de gambá dos pelos caninos. :P
Só vai uma dica: não se assuste com o tanto de “e” que você encontrará se optar a ler esse livro. Sabe? Ela fez isso, e isso, e isso, e isso, e disse isso, e isso, e foi embora. Se não foi erro de revisão, certamente é estilo de escrita da autora.
Gostei bastante e indico a leitura!

Inspire-se

Produtos / Marcas: Botas Dolce & Gabbana / Ankle Boots de pele de lagarto verde / Pain Au Chocolat / London Times / Bolacha McVitie’s / Chips Ahoy! / Picape vermelha / Pullover aveludado masculino / Máquina Polaroid / Anos 60: Kajal Egípcio, Túnica de seda da Índia coberta de cores espiraladas, Lenço de seda Peter Max / Dr. Pepper / Trench Coat da Burberry / Bebidas Screwdriver e Sidecar / Suéter de cashmere de estampa de onça / Calça preta skinny / Toyota / Calça de cetim risca de giz Lacroix / Manolos de Oncinha / Calcinha de cetim La Perla com renda / Jaqueta de couro Roberto Cavalli / Macacão Jean Paul Gaultier / Suéter Chanel rosa-shocking / Sorbet de framboesa / Donettes e Ding Dongs / Bolsa Tampax / Tinta de cabelo Garnier Nutrisse / Estojo de sombras Pixi Lumi Lux Eye Palette / Esmaltes L’oreal / Sal Kosher / Curativos Ace / Casaco de homem da Michelin.

Literatura : Jeeves, de P. G. Wodehouse.

Filmes: Jornada nas Estrelas.

Programas de TV / Seriados: Days of Our Lives.

Músicas / Músicos: Canção dos ratinhos, Cinderella / Enya / Opera La Bohème / Tosca / Swing Low, Sweet Chariot.

Estabelecimentos / Empreendimentos: Bar Dungeon, na Irlanda – Inglaterra / Hotel George V, em Paris / Hotel St. Regis, em Nova York / Restaurante Clancy’s, em Boston / Sylvia’s Dinner / Pitson’s / Walgreens / Dunkin’ Donuts / Auntie Lou’s / Home Depot.

Outros: Cirque du Soleil.

Para saber mais sobre os itens acima, clique nos nomes.
Para ouvir as músicas no perfil do blog no Grooveshark clique aqui.
Gente, que produtos são esses? Fiquei babando com Pain Au Chocolat, McVitie’sChips Ahoy!, Donettes e Ding Dongs !!! Quem tiver acesso, manda pra mim pelo Amoooor de Deus!!! rsrs Não conhecia também a marca de maquiagem Pixi, quero tudo que vi no site!! rsrs

Espero que tenham gostado do post de hoje. :))  Para finalizar: as fotos. Até a próxima!